Entrevista sobre Livro Infantil e sua importância na formação do pequeno leitor.

Entrevistamos Vanessa Oliveira Benassi* para falar sobre o mercado de livros para crianças

Profissão Editor: O que é considerado livro infantil (faixa etária, assunto etc.)?
Vanessa Oliveira: É possível considerar o livro infantil como qualquer publicação voltada para o público de 0 a 10 anos, muitas vezes se estendendo até 12, 13 anos. Agora, sobre o assunto, acredito que varia bastante. Eu me lembro dos meus livros de criança até hoje. Lembro de detalhes das ilustrações, das histórias e dos momentos em que pegava esses livros para ler ou apenas observar. Gostava de descobrir detalhes que ainda não tinha visto. Para mim, isso é considerado um livro infantil: uma boa história, ilustrações instigantes, capazes de marcar essa fase tão gostosa da vida e nos ajudar a crescer.

PE: Quais são os cuidados específicos que se deve tomar ao se produzir um livro para crianças?
VO: A maneira como determinado tema vai impactar a vida da criança –acho que essa é uma das maiores preocupações. É possível falar de qualquer assunto em um livro infantil, não é à toa que muitos adultos adoram livros infantis e se emocionam com as leituras. O grande segredo é como abordar o tema, o que faz dessa literatura tão especial. Também é preciso um cuidado maior com o acabamento dos livros – os aspectos físicos de fato –, visto que será manuseado por mãos pequeninas e curiosas. Portanto, é fundamental adequar o formato para a faixa etária do público-alvo.

PE: Quais são as principais editoras brasileiras que atuam no mercado de livros infantis?
VO: Existem muitas editoras ocupando esse espaço no momento, algumas voltadas praticamente para esse gênero, como Ciranda Cultural, Peirópolis, Girassol, Brinque-Book, DCL e Biruta; e editoras que também atuam com esse gênero, como Companhia das Letrinhas – do Grupo Companhia das Letras –, Autêntica, Record, Rocco e Sextante. Algumas editoras que atuam no mercado de didáticos também publicam livros infantis, como é o caso da Moderna. São apenas alguns exemplos, existem muitas outras.

PE: Onde se vende o livro infantil? Ele é vendido apenas em livrarias?
VO: O livro infantil é vendido em diferentes mercados, não apenas em livrarias, mas em feiras escolares, supermercados, bancas, catálogos, lojas de brinquedos e pontos alternativos em geral. Como o livro adulto, também sofre com a carência de livrarias, então, é preciso buscar outros espaços no mercado. Atualmente, os clubes de leitura vêm se destacando nesse segmento também.

PE: Como funciona a divulgação do livro infantil? Isso é feito para a criança, que consome, ou para os pais, que compram?
VO: O apelo maior é para os pais, educadores, cuidadores, os adultos em geral, pois são eles que possuem o poder de compra e irão escolher o livro que julgam mais adequado para a criança.

PE: Você trabalha com obras licenciadas? Como funciona e qual a diferença entre elas e um livro não licenciado?
VO: Trabalho diretamente com livros licenciados, isso significa fazer livros com os personagens que fazem parte do universo infantil. É preciso contratar a marca por determinado período por meio de um agente ou diretamente com o detentor da marca. Recebemos o guide, que nada mais é que um guia da marca, o qual mostra características dos personagens, fontes, cores; ou seja, um conjunto de regras e materiais que podem ser aplicados nos livros. A diferença em relação a um livro comum é que você fica limitado ao universo do personagem, mas uma das vantagens é que consegue mensurar o público que pode se interessar pelo livro.

PE: Explique o passo a passo da produção editorial de um livro infantil e os profissionais envolvidos.

VO: O processo editorial é parecido com o dos livros adultos, e as etapas precisam ser respeitadas igualmente: contrato, tradução (caso se trate de uma obra estrangeira), preparação, diagramação, revisões e produção gráfica. Além da participação do autor, no caso de um livro autoral, é fundamental a escolha do ilustrador da obra. Nos livros infantis, a ilustração possui um peso tão importante quanto o texto; muitas vezes é até mais importante. O autor pode indicar um ilustrador e até entregar sua obra ilustrada, mas se esse trabalho não foi feito, o editor/produtor editorial tem um papel muito importante nessa seleção. Outro aspecto fundamental é quando o livro possui atividades e passatempos. É preciso uma atenção maior para se certificar de que tudo está funcionando corretamente. São muitos os detalhes que merecem atenção em um livro infantil, e trabalhar com esse segmento desenvolve o olhar para além do texto.

*Vanessa Oliveira Benassi é formada em Letras pela Universidade de São Paulo (USP) e cursa MBA em Book Publishing pela Casa Educação/Instituto Singularidades. Sempre esteve envolvida profissionalmente com crianças. Começou como monitora em buffet infantil, deu aula para crianças em uma clínica psicopedagógica, foi babá na Alemanha durante um ano em um programa de Au Pair e atualmente se dedica aos livros infantis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>